Estamos hoje diante de um grande desafio: responder com agilidade às demandas urgentes, tais como o esgotamento de recursos naturais, a superpopulação mundial, a desigualdade social, o excesso de lixo gerado e muitas outras questões que se acumulam nesse complexo mundo, causando assim diversos problemas, entre eles a continuidade da nossa espécie.

Surge em 2006 a ideia de uma nova forma de fazer negócio, o conceito de Empresa B, nos Estados Unidos, ou Sistema B, na América Latina, uma comunidade formada por empresas que focam seus esforços não somente no lucro, mas que buscam também pensar soluções para o bem-estar das pessoas e do meio ambiente, garantindo espaço nesse novo contexto.

Desde então, o Sistema B já chegou a mais de 60 países, posicionando-se como um movimento global que trabalha por uma economia sustentável, redefinindo o conceito de sucesso nos negócios e demonstrando que empresas podem ser agentes ativos que contribuem para pensar em respostas para tais demandas. Essas empresas reúnem suas competências e atuam em seus territórios de potência, mostrando que é possível estar presente nos três eixos de impacto (triple bottom line) e desenhando soluções por meio de novos produtos, embalagens, serviços e ferramentas que geram valores compartilhados, consequentemente tornando-se marcas protagonistas na construção do futuro.

De 11 a 13 de setembro, aconteceu em Mendoza, na Argentina, o encontro latino-americano que reuniu redes de atuação e impacto, entre eles, produtores, comunidades locais, estudantes, acadêmicos, investidores, líderes da sociedade civil, designers e demais agentes, que discutiram e apresentaram soluções para uma economia que potencializasse mudanças na desigualdade social e na crise climática. 

Fred Gelli, CEO e diretor criativo da Tátil, participou dessa imersão que, desde 1989, faz parte do nosso universo e que agora está em processo de certificação, oficializando nosso posicionamento de ser e atuar nesse novo cenário em formação. Hoje temos a alegria em trabalhar junto às duas maiores B corps do planeta, a Natura e a Danone.

O Sistema B nos  no mundo, mas que as empresas são agentes diretos de transformação, que geram negócios potentes através de uma jornada evolutiva que exige coerência, conexão com pessoas e atuação relevante, gerando impacto no agora e no futuro.